#Zines Descarga

Zine pessoal e político de Santos/SP (setembro/1998 a dezembro/2000)

descarga1A primeira edição do Descarga (#0) foi lançada em setembro de 1998. Em outubro saiu o #1 e a partir da edição #2 o zine se tornou bimestral, mantendo a periodicidade durante todo o ano de 1999. Ao longo do ano 2000 foram lançadas mais duas edições e depois a última, #11, em volume especial, junto ao Surfcore zine.

O Descarga zine sempre teve distribuição gratuita, mantida através de patrocínios diversos nas páginas do zine – lojas de música e Skate, estúdios de tattoo e de música, etc. A cada edição foram distribuídas cerca de 300 cópias em shows, eventos de skate, comércio de Santos e também via carta, para todo o Brasil.

Além de falar de feminismo e da cena riot grrrl, o zine debatia sobre preconceito, homofobia, racismo, religião, etc. Toda edição contava com uma entrevista com alguma banda, uma tablatura de guitarra e uma tirinha em quadrinhos, além de diversos textos pessoais e políticos e resenhas de bandas independentes que enviavam suas demo-tapes.

Realizado por Marcela Mattos, com colaboração frequente de Diginane, Aline e Beatriz, além de muitas outras participações esporádicas.

#Zines Clit

A ideia surgiu no começo de 2012, quando duas amigas se cansaram da falta de material acessível sobre feminismo que aprofundasse questões teóricas e as trouxesse para a  prática cotidiana.

Sentimos a necessidade de um material impresso com um conteúdo mais denso, mas com a leitura agradável e acessível que só o zine pode oferecer. Nosso contato com o punk facilitou a escolha do formato e assim conseguimos atingir mais gente, no bom e velho esquema Faça-Você-Mesma!

Por enquanto temos apenas essa primeira edição, que foi resultado de bastante esforço. Não é fácil manter esse corre, então a periodicidade ainda não está bem definida. Com a chegada de 2013, já estamos ansiosas para a segunda edição e cheia de propostas para continuar publicando. Que venham mais CLITs!

Para ver online: http://clitzine.blogspot.com.br/

#Zines Cinisca Zine

Fanzine editado por Laiza Ferreira e Rafaela Fontoura de Ananindeua/Belém-PA.O zine nasceu em 2011, é feito somente por mulheres. Nossa inspiração veio das bandas riot grrrl e da força da atleta espartana que venceu a corrida de carruagem de quatro cavalos chamada Cinisca. Na primeira edição convocamos garotas de vários lugares do Brasil e recebemos textos sobre saúde e autonomia feminina, ação feminista, resenha do LadyFest Brasil 2010,desenho, quadrinhos e poesia. Recentemente lançamos a segunda edição com o mesmo esquema de convocação, com o diferencial de algumas garotas serem de outros países. Na #2 tivemos resenhas de filmes e quadrinhos, ilustração, textos sobre aborto, pornografia e violência simbólica e intervenção urbana.

Para ver onlilne: www.ciniscazine.wordpress.com ou http://issuu.com/cinisca
Para entrar em contato: cinisca@gmail.com

#Zines No Make Up Tips

Zine editado por Jessica Nakaema e Gabriela Gelain na cidade de Santa Maria/RS iniciando no ano de 2009 depois de descobrirem que gostavam de Dominatrix e compartilhavam várias ideias em comum. O nome do fanzine foi inspirado no som da banda e as pautas seriam vinculadas ao hardcore,ao riot grrrl e a vida pessoal das editoras.

Zine #1 com resenhas, entrevista com a banda Tijolo Seis Furos (Santa Maria/RS) resenhas, conto.

Zine #2 com textos pessoais, entrevista com Dead Fish e Todos Contra Um, resenhas, conto, HQ.
Zine #3 entrevista com Chuva Negra e Inseto Social (Santa Maria/RS), resenhas, textos pessoais, HQ.

Sobre o zine #3 via blog Zinismo:
“O zine funciona como um modo de manter a “liga” da amizade quando a distância entre as amigas se estabelece e trata de temas relativos ao universo punk/hardcore com um viés feminista. Nesta edição entrevistas com as bandas Chuva Negra e Inseto Social, resenhas de bandas, conto de Luis Perossi (zine Meus Amigos bebem muito café), resenhas de shows, quadrinhos e textos de reflexões. Destaque para a linguagem do zine que consegue um equilíbrio que considero importante nas publicações do tipo: é pessoal sem ser e confessional e informativo sem cair na frieza “jornalística”. via Zinismo

Para entrar em contato: http://facebook.com/nomakeuptips ou nomakeuptips@hotmail.com

#Zines Emancipar zine

O Coletivo Emancipar nasceu por uma carencia extrema de mobilizaçåo punk feminista.
Sem articulaçåo não há produção de bandas, nem zines ou festivais, etc que abordem o feminismo, e sem nada disso não existe a propagação do riot grrrl, sem essa propagação tudo de mais viceral que já bombeou muito forte nas veias de muitas meninas nas decadas de 90 e 00 em breve deixaria de bombear nas gerações seguintes. Tendo isso tudo em vista elas se juntaram e não esperaram que alguém fosse fazer por elas então começaram a produzir. O EMANCIPAR zine foi a primeira ferramenta que as meninas do Coletivo Feminista Emancipar utilizaram para afirmar a existencia do coletivo.

As duas edições trazem textos de autoria das próprias integrantes do coletivo, um trecho da entrevista com Elaine Campos, desenhos, arte e feminismo numa linguagem simples e muito sincera e honesta de quem tem muita esperança de ver muita coisa mudar ainda.

A terceira edição não saiu ainda, mas em breve quem sabe ela não venha parar aqui também?

Para baixar:
Primeira edição: http://cultiveresistencia.org/arquivoriotgrrrl/emanciparzine1.pdf
Segunda edição: http://cultiveresistencia.org/arquivoriotgrrrl/emanciparzine2.pdf

#ZINE Este Corpo É Meu

Imagem O assunto é o CORPO DA MULHER. A idéia é podermos abrir um debate sobre todas as coisas que se relacionam com o corpo da mulher. Sejam com mulheres ou com homens que gostam e se interessam pelas mulheres. O CORPO DA MULHER é a configuração do silêncio e da palavra delegada, onde nossa cultura conseguiu estabelecer uma distancia de nós mesmas. Não entendemos, não conhecemos e já perdemos o controle do nosso corpo. O objetivo aqui é tomá-lo de volta, é apropriarmos dessa linguagem proibida, é olhá-lo, tocá-lo, perguntar, fazer chá, fazer pomadas, auto-examinar. Neste zine vamos encontrar textos sobre sexualidade, alguns tópicos para conhecermos nosso corpo, receitas de plantas naturais que vem sido usadas desde as avós das nossas avós, auto exame vaginal com espéculo e auto exame de mama, os malefícios dos absorventes industriais e métodos alternativos para evitá-los. CORPO é o espaço e o tempo desde o qual refletimos politicamente nosso cotidiano, é a nossa condição material indispensável para criamos e sermos críticas.

#ZINE Estridente

História: Tudo começou quando tinha 14 anos ecomecei a tocar guitarra, comecei a pesquisar sobre bandas femininas já existentes no mundo, foi então que eu descobri um movimento dentro do punk que questionava o sexismo existente no rock como um todo chamado Riot Grrrls, foi então que comecei a me interessar por feminismo e conhecer novas bandas, cheguei inclusive a ter banda só de menina de punk rock que se chamava DIU, optei portanto num primeiro momento em ter banda, e não em fazer um zine, mas sempre admirei e sempre tive vontade de fazer. A banda acabou, virei baixista, e depois fui cantar rap, sim rap… Foi uma experiência muito rica, cheguei a gravar 6 músicas, mas decidi parar por motivos pessoais e porque estava fazendo faculdade e a música num todo tomou muito meu tempo. Depois me formei e comecei a dar aula de sociologia\filosofia. Comecei a querer voltar a tocar, mas era muito difícil montar banda, então decidi eu mesma criar um ZINE para expor minhas opiniões de forma simples e divertida com um cunho ativista no feminismo (que nunca morreu dentro de mim). O Estridente além de falar sobre feminismo, tem dicas de filmes, bandas femininas que gosto de ouvir, e nas próximas edições terão também dicas de livros interessantes que já li ou que pretendo ler. Este zine começou em em Agosto de 2012 mesmo, a primeira edição distribuir na marcha do Dia do Basta a corrupção que aconteceu dia 7 de setembro em Uberaba, e distribui para alguns amigos além de scanear e deixar disponível para download na internet, o #2 foi lançado no festival de hardcore Union Fest que aconteceu no clube Sírio Libanês também em Uberaba, enviei também algumas cópias para a banda Anti-Corpos distribuir na cidade de São Paulo e Santos (tanto o #1 como o #2). O #3 pretendo lançar na virada cultural do Triângulo Mineiro em Novembro.  O Estridente é feito de forma TOTALMENTE ARTESANAL, tanto na criação com recortes de revistas e jornais velhos, desenhos feito a mão e texto as vezes feito a mão ou imprimidos e colados.

Para baixar:  http://cultiveresistencia.org/arquivoriotgrrrl/estridente_01.pdf

Para entrar em contato: jessicabvaleriano@hotmail.com

#ZINE La Haine Zine!

O La Haine Zine! é escrito por um ou mais corações partidos de ambos os gêneros. Principalmente por aqueles que não pensam, não existem e apenas assistem a apatia humana com relação as coisas. E tem como principais assuntos, distantes aventuras em ilhas desertas, cinema, sexo, amor, cortes de cabelo, bem-estar animal, feminismo, películas, documentários, culinária e rock em geral…
Disponível para download no link abaixo e na loja Arte Vegan na Galeria do Rock [Avenida São João, 439 – 3º andar – Loja 429].