#Fotos Silêncio

Fotos realizadas por Marcela Mattos em fevereiro de 2005, especialmente para a mostra de arte “Minha Boca Muda Grita em Sua Orelha Surda”, que aconteceu dentro do Festival feminista LadyFest, em São Paulo, organizado pelo Portal Quitéria.

…:: silêncio ::
A idéia inicial aqui era escrever do que se trata esse trabalho, o que essas fotos e sons querem dizer e porque resolvi expressar o que penso sobre a violência sexual dessa forma.. Mas.. usando o clichê de que “uma imagem vale mais que mil palavras”, prefiro deixar que elas falem por si só..

Durante toda realização desse projeto sinto que passei por uma experiência incrível, que me fez concretizar ainda mais algumas opiniões que tenho a respeito desse tema. Por isso achei importante falar dos bastidores.. Antes, durante e depois das fotos, exatamente os momentos que permanecem em silêncio depois da obra pronta.

Ao convidar as meninas para fazer as fotos, expliquei a idéia, falei do sentimento que queria expressar e porquê. A princípio rolou uma grande dificuldade… Mas assim que começamos a conversar sobre o tema o clima de brincadeira deu lugar a momentos de introspecção. Momentos onde cada uma com certeza pôde entender muito do que é ser mulher e ter a necessidade de estar sempre alerta, lidando com situações incômodas e descobrindo formas de enfrenta-las.

Apenas falar sobre abuso sexual pode parecer banal e não ter nada de prático, mas pode também ser uma ótima forma de fortalecer e entender muitas coisas que permeiam a questão. A sensação de alívio que sentimos – eu e todas que colaboraram – após os ensaios fotográficos e a gravação do som prova que falar sobre a questão pode, sim, ser um passo inicial para enfrenta-la.

Toda mulher que já se sentiu vítima de algum tipo de violência sexual tem uma noção bem forte do que são sentimentos como raiva e angústia. Basta lembrar de uma situação para essas emoções aflorarem e vir à tona para denunciar a angústia que se sente quando se percebe que não é totalmente dona de seu corpo.

A verdade é que não existe mulher que não tenha, em algum momento de sua vida, sido vítima de alguma forma de violência – seja física, moral ou verbal – pelo simples fato de ser mulher. Todas, se pararem para pensar vão lembrar de algum momento em que se sentiram constrangida com algum comentário masculino nas ruas, ou de um parente que dispensou um tratamento “diferente” na infância, ou mesmo de um namorado que não respeitou limites. Fato é que a violência está também nas pequenas coisas, nos momentos do dia-a-dia, nas piadinhas e conversas, na mídia… E ninguém vai te explicar o que é ou não é uma violência contra o seu corpo! Muitos vão até querer palpitar sobre o que deve ou não ser considerado uma discriminação, mas o que é válido é o que você sente. Você é quem sabe quando se sentiu desrespeitada ou quando foi vítima de abuso.

*Marcela Mattos é jornalista e fotógrafa. Militante feminista autônoma

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s